O edital Periferia que Faz distribuiu 220 MIL REAIS
para jovens periféricos de todo o Brasil. Veja como foi!
Em setembro de 2020 realizamos a primeira chamada do Edital Periferia que Faz, para contribuir com iniciativas de jovens entre 18 e 30 anos de idade das mais variadas periferias do Brasil.

O objetivo era que esses jovens tivessem a oportunidade de iniciar ou continuar projetos de impacto, sejam eles relacionados ao meio ambiente, à arte e cultura, à educação, direitos humanos, inclusão digital ou saúde.

Recebemos mais de 1600 inscrições de projetos incríveis de todas as regiões do Brasil e tivemos o árduo trabalho de selecionar doze no final. Cada projeto foi avaliado por pelo menos duas pessoas da equipe do NOSSAS e mais dois membros de um Comitê externo altamente qualificado.

Ao todo, foram contempladas seis iniciativas na região Nordeste, duas na região Norte, duas em periferias do Sudeste, uma no Centro-Oeste e uma no Sul do Brasil!
Veja abaixo tudo que foi feito com os recursos do edital :)








Comunidades Indígenas Renascer e Mirituba | AM
Natan e Carina são professores em Novo Airão, Amazonas e, com o edital, desenvolveram um projeto de inclusão digital nas comunidades indígenas de Mirituba e Renascer, visando dar acesso à tecnologia e à comunicação digital para seus habitantes.




EDUCABREU | PE
Espaço de aprendizagem e troca de experiências, composto por jovens moradores do município de Abreu e Lima em Pernambuco. O projeto oferece aulas de inglês e francês, além de workshops que integram Direito, Economia e Política. Com o edital, conseguiram apoiar suas atividades em 2020 e 2021.





Grupo Tumuné Ûti | MS
Projeto de ações sociais pela preservação do meio ambiente dentro do Ti Taunay Ipegue, no Mato Grosso do Sul. Com o edital, o grupo construiu um viveiro de mudas para resgatar as plantas medicinais e frutíferas da região e fizeram oficinas e palestras.




RENFA | PE
Organização feminista, antirracista que atua pelo fim da guerra às drogas e do encarceramento, através do estímulo da percepção de autocuidado e coletividade das mulheres familiares de presos do sistema carcerário na cidade de Recife, Pernambuco. Com o edital, fizeram atividades de autocuidado com mulheres familiares de pessoas presas e mulheres ativistas do movimento feminista e produziram um documentário sobre esse processo.



Arte de Preta | BA
A Arte de Preta é uma iniciativa de artesanato composta por um casal de mulheres da Bahia, que trabalha com processos de criação através de ensinamentos ancestrais. Com o edital, fizeram aulas de confecção de bijuterias para mulheres em situação de vulnerabilidade nas periferias de Salvador, ensinando-as como fazer e como vender.




ATINSÁ | RJ
Projeto de jardinagem consciente, com cultivo doméstico de Plantas Medicinais e Conscientização Alimentar na promoção da Saúde e Ambiente no bairro de Realengo, na cidade do Rio de Janeiro. Com o edital, construiram hortas com plantas medicinais e realizaram atividades de colheita e produção de fitoterápicos.





Gueto Hub | PA
Espaço aberto com arte, literatura, música, memória e empreendedorismo em Belém, Pará. Com o edital, nele foram estabelecidos uma biblioteca comunitária (com acervo considerável de autores negros e/ou de temáticaafro-indígena); um salão cultural; uma galeria de exposição de arte e memória; um espaço de alimentação; e um espaço de coworking.




República Família Atos 29 | SC
Projeto de acolhimento de jovens que completam a maioridade em abrigos e casas lares de Porto Alegre e região, assegurando seus direitos básicos, lutando pela concretização do protagonismo juvenil. Com o edital, deram incentivo à profissionalização através de cursos e empreendedorismo social e prestaram assistência integral a jovens que completam a maioridade em instituições de acolhimento.



A Associação Juventude em Ação | PB
A Associação Juventude em Ação atua há 15 anos na comunidade do Timbó, na região metropolitana de João Pessoa, na Paraiba. Ela visa contribuir com o desenvolvimento das juventudes em situação de vulnerabilidade social, com ações de comunicação, formação humana, profissional e desenvolvimento local. Com o edital, construíram e produziram uma horta comunitária e um espaço de lazer, para a interação da juventude e da comunidade.




Canal Papo de Índio | BA
Projeto que visa potencializar as discussões sobre sexualidade e gênero, por meio do uso de tecnologias digitais; e o fortalecimento do movimento indígena LGBTs na Bahia. Com o edital, fizeram oficinas de mídias digitais e compra de equipamentos de filmagem/gravação para o projeto e para representantes Pataxó, Pataxó Hãhãhãe e Tupinambá.




Perifayoga | BA
Coletivo de professores de yoga que realizam práticas gratuitas em bairros periféricos de Salvador com o intuito de descentralizar e deselitizar a prática. Com o edital, atenderam a uma crescente demanda de pessoas que buscavam o yoga e levaram a prática para a praça central de Cajazeiras V e no bairro periférico de Paripe.





Vestibulandos da Cidadania | SP
Associação sem fins lucrativos que promove há 5 anos um curso pré vestibular gratuito para jovens de escola pública no município de Itaquaquecetuba, São Paulo. Com o edital, criaram uma disciplina de iniciação profissional com foco em soluções digitais para ajudar esses jovens a entrarem no mercado de trabalho.



“Graças ao financiamento alcançado através do Nossas, o Arte de Preta capacitou 40 mulheres na produção de bijuterias artesanais. Há tempos tem sido nosso desejo por no mundo nosso trabalho e compartilhar os conhecimentos que acumulamos ao decorrer dos anos e possibilitar com eles um retorno pra nossa comunidade que vai muito além da possibilidade de alcançar recursos financeiros: é também sobre autoestima, movimento, hobbie, encontro e troca. Somos e seremos eternamente gratas ao projeto por nos ter dado a oportunidade de transitar em tantos espaços, conhecer tantas pessoas e viver tantas experiências, profissionais e pessoais. Quando a mulher negra se move, toda a sociedade se move junto com ela. Continuemos nos movimentando!”
Laís, Arte de Preta





“O EDUCABREU ser aprovado como um dos 6 projetos do nordeste no edital "Periferia que Faz" do NOSSAS trouxe grande orgulho e força nesta fase de pandemia. O projeto se revigorou e encontrou novas possibilidades com a aprovação. Conseguimos nos institucionalizar, ofertar aos professores equipamentos eletrônicos para desenvolvimento das aulas presenciais e onlines, nos organizamos de forma mais eficaz e voltamos a acreditar no nosso potencial de transformação social. Foi uma grande parceria, muito honrosa e rica! Que cada vez mais a Periferia tenha vez e voz! Projetos assim nos fortalecem. Muita gratidão, NOSSAS!”
Maria Clara, EDUCABREU





“O impacto do recurso do NOSSAS para a Atos 29 foi fundamental para o desenvolvimento de diversas atividades. Já estamos colhendo resultados deste investimento, como por exemplo, fortalecimento dos vínculos afetivos, autonomia de vida em nossos usuários e um ambiente muito mais acolhedor e propício para o avanço da profissionalização e lazer”
Renan, República Família Atos 29





“Meu nome é Carina, tenho 27 anos e sou do povo Desana, professora e artesã, moro no Amazonas, no município de Novo Airão. Lecionei na comunidade indígena Mirituba no 2020, mas onde estava não tinha Internet para efetuar a inscrição no edital Periferia Que Faz do NOSSAS. Essa oportunidade não saia da minha cabeça por semanas e na últimas semanas da inscrição retornei para a cidade, chegamos no último dia da inscrição e confirmando a nossa participação! A partir daí, deu tudo certo! Realizamos o nosso sonho de levar inclusão digital: algo que parecia tão distante, agora estamos conectado na nossa oca virtual! Kuekatú reté, obrigada a todas as envolvidas!”
Carina, Comunidade Mirituba e Renascer



Além da equipe do NOSSAS, o processo seletivo do Edital Periferia Que Faz contou com um Comitê Externo de Avaliação, que avaliou as propostas (sempre anônimas) com base nos critérios do edital. Conheça os membros do comitê:



Professor Adjunto da Universidade Federal do Amazonas. Manaus





Jornalista e coordenadora de comunicação da Casa Fluminense. Rio de Janeiro




Advogada e Presidenta do Geledès-Instituto da Mulher Negra. São Paulo


Diretora de Comunicação da Minha Jampa e mestranda em Antropologia pelo PPGA/UFPB. João Pessoa




Advogada Co-Fundadora do Instituto de Defesa da População Negra. Minas Gerais



Militante feminista e assessora técnica do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFEMEA). Distrito Federal




Advogado e professor da FGV Direito SP e da FGV RI. São Paulo



Acreditamos que um edital é a maneira mais democrática de chegarmos ainda mais longe e ampliar as oportunidades. Por isso escolhemos apoiar quem já atua ou quer atuar por mudanças em suas comunidades mesmo com poucos recursos. Conscientes da profunda desigualdade social do nosso país, propusemos um edital que levou em consideração as dinâmicas dessas desigualdades: as propostas deveriam ter como foco territórios de periferia. Além disso, priorizamos projetos de enfrentamento ao racismo e tocados por pessoas negras e indígenas.





O NOSSAS é uma rede de ativismo que acredita no protagonismo de jovens negros e negras como a chave para a transformação radical do mundo. Depois da pandemia da Covid19 e as discussões que vieram junto com ela, como a pauta do combate diário ao racismo, se tornou ainda mais urgente utilizar nossos recursos para potencializar este recorte da população.



Twitter


NossasCriado por Nossas usando o BONDE